Home / Notícias / Um governo distante dos italianos no mundo

Um governo distante dos italianos no mundo

Apesar da presença de um eleito no exterior no Governo, os atos concretos vão todos na direção oposta

A pouco mais de um ano das últimas eleições, uma coisa é certa: o governo “amarelo-verde” está se caracterizando por uma total aversão aos estrangeiros na Itália e aos italianos no exterior.

A maioria do governo é apoiada pela Lega e pelo Movimento 5 Estrelas, partidos que nunca demonstraram, no passado, grande atenção e preocupação para com os italianos no exterior; a esses dois partidos juntou-se então o MAIE (Movimento Associativo Italianos no Exterior) que indicou Ricardo Merlo como Sub-Secretário para os Italianos no Mundo.

O primeiro ato importante desse governo em relação aos italianos no exterior foi o chamado “Decreto Segurança” (mais conhecido como “Decreto Salvini”, pelo nome do líder da Lega): esse decreto considera os estrangeiros que vivem na Itália e os italianos no exterior como um problema de segurança pública e terrorismo. Os prazos para o tratamento dos pedidos de cidadania ‘ius sanguinis’ foram aumentados e foram introduzidas complicações (e aumentada a taxa!) para as cidadanias por matrimonio.

Nenhuma melhoria real, ao contrário, para os Consulados, se reduzem os recursos econômicos e humanos obtidos através dos governos liderados pelo Partido Democrático. Os governos do PD levaram, somente em 2018, quase dez milhões de euros adicionais aos consulados sul americanos e foram os primeiros a aumentar PARA 300 os recursos humanos destinados aos consulados no mundo! A mesma história para a língua italiana no mundo; neste caso também, os recursos atuais foram destinados pelos governos Renzi e Gentiloni, e é gravíssimo que o governo atual rode o mundo dizendo o contrário, isso é, que esses recursos foram alocados hoje.

As outras importantes leis aprovadas por esse governo, como a das aposentadorias (a chamada “quota 100”) e a renda de cidadania, também excluíram da categoria de beneficiários exatamente os italianos no mundo, incluindo os que retornam à Itália por problemas econômicos ou vindo de Países em crise humanitária, como a Venezuela. Diferente de “Primeiros os italianos!”, os italianos no exterior são considerados “de série B” e são excluídos de direitos fundamentais inclusive quando decidem retornar à Itália.

Justamente sobre a Venezuela, país onde se está vivendo a mais grave crise humanitária também no que diz respeito à coletividade italiana no exterior, o Governo demonstrou estar verdadeiramente distante de nossos compatriotas: único País europeu, a Itália recusou reconhecer o Presidente Guaidò como os nossos compatriotas solicitaram em uma carta escrita ao Presidente da República, Mattarella.  Uma afronta que nossos concidadãos na Venezuela não mereciam e não esperavam.

Finalmente, a representação dos italianos no exterior: a Lega e os 5 Stelle, retomando uma velha proposta sua, querem diminuir de 18 para 12 (um terço a menos!) os representantes dos italianos no mundo no Parlamento. Uma verdadeira injustiça, considerando que, nos últimos dez anos, o número de italianos contrariamente dobrou e que a proporção entre eleitores italianos e parlamentares no exterior já era muito baixa e desvantajosa. Uma proposta que faz par com a abolição do Comitê para as questões dos italianos no exterior do Senado que, nesses anos, desenvolveu um importantíssimo trabalho no Parlamento em apoio a nossas coletividades no mundo. Do PD ao Forza Italia, foram muitas as vozes que se levantaram para denunciar esse enésimo tapa nos italianos no mundo, enquanto, mais uma vez, o Governo e o Sub-Secretário Merlo não levantavam um dedo para evitar esse massacre.

Resumindo, o governo LEGA – 5STELLE – MAIE está se portando como um inimigo e não um amigo dos italianos no mundo; uma grande desilusão para o grande número de italianos no exterior que depositaram suas esperanças na presença, no governo, de um dos seus. Só nos resta esperar nessa vida breve de um executivo que levou a Itália à recessão econômica e os italianos no exterior de novo  à “série B”.

Fabio Porta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*